Breves
Câmara Municipal atribui nome de José Matias a rua em Fajã: A rua José Matias foi inaugurada no final do dia desta terça-feira, 17, em ambiente de Terrenos em Somadinha à venda a partir de Novembro: Os terrenos na zona de Somadinha, à saída da cidade da Ribeira Brava, vão estar Famílias carenciadas do concelho vão poder melhorar a sua dieta alimentar através do projecto Horta : As famílias carenciadas do município da Ribeira Brava, principalmente aquelas dirigida II Semana Municipal de Educação termina com abertura solene do ano lectivo 2015/16: A II Semana Municipal da Educação terminou na sexta-feira com o acto solene de abert Decorre a II Semana Municipal da Educação no concelho da Ribeira Brava: A II Semana Municipal da Educação está a decorrer no concelho da Ribeira Br Fogo-de-artifício e muitos aplausos recebem energia 24h em Juncalinho: A ligação de energia 24h em Juncalinho foi recebida, este sábado 19, com fogo Água a domicílio em Cachaço de cima já é uma realidade: Os moradores da zona de cachaço de cima já têm água em suas casas inves Autarquia avalia estragos deixados pelo Fred e começa a acudir os mais necessitados: Depois da passagem do furacão Fred no nosso arquipélago a equipa da Câmara Mun Zona de Terra Quebrada já tem água a domicílio: A Câmara Municipal da Ribeira Brava inaugurou, na terça-feira, 25, a aduç&atil Lançada a 1ª pedra do projecto de requalificação do jardim infantil Daniel Monteiro : A Câmara Municipal da Ribeira Brava lançou esta terça-feira, dia 11, a primeir

São Nicolau: Apoios chegam a conta-gotas na Ribeira Brava

Ribeira Brava, 08 Out (ASemana) - Duas semanas após cheias que destruíram a Vila da Ribeira Brava (São Nicolau) as autoridades contabilizam ainda os montantes necessários para recuperar aquele município. No terreno já estiveram membros do governo e da Câmara Municipal, representantes do Instituto de Estradas e da Cruz Vermelha, e todos são unânimes em afirmar que os estragos são incalculáveis.

Enquanto isso, as promessas das instituições, serviços e pessoas individuais bem como as muitas campanhas de solidariedade, no país e na diáspora, ainda não se traduziram em resultados concretos para as localidades e pessoas afectadas.

“As ajudas ainda são muito tímidas. Recebemos alguns alimentos de primeira necessidade, enviados por amigos de São Nicolau residentes em São Vicente, que foram distribuídos na Covoada e no Carriçal. Também temos recebido algumas apoios individuais, que vão nos ajudando a minimizar a situação”, explica Américo Nascimento, presidente da Câmara da Ribeira Brava, que aproveita para agradecer o apoio da CM do Tarrafal e dos jovens auto-organizados que vieram dos locais de residência para socorrer a Vila.

Mas continuam a faltar braços e meios humanos. Exactamente por isso, na passada terça-feira, o executivo camarário da Ribeira Brava reuniu-se para avaliar a situação e conclui que os estragos resultantes das cheias são avultadíssimos. “A Câmara Municipal não tem poupado esforços no sentido de minimizar a situação com intervenções rápidas no terreno e com os equipamentos possíveis, evitando danos maiores, principalmente na Ribeira Brava”.

A prioridade ainda é desobstruir os acessos à Vila da Ribeira Brava e às localidades. "Fica-nos difícil contabilizar os investimentos necessários para fazer as obras. Não queremos atirar números ao acaso. Não queremos fazer alarme e estamos a fazer o impossível para, através do governo e de outras entidades, mobilizar recursos, mas a recuperação da Ribeira Brava é para muitos anos”.

 

ASemana/Fim